ZEE LUANDA-BENGO

A Zona Económica Especial (ZEE) Luanda-Bengo, é um espaço fisicamente demarcado dotado de benefícios fiscais e vantagens competitivas!

Conta, para isso, a ZEE, com infraestruturas adequadas à instalação de Empresas, nacionais ou estrangeiras, capazes de fomentar a produção interna, a geração de emprego, com competitividade e inovação.

A ZEE Luanda-Bengo é propriedade do Estado, compreende vinte e uma (21) reservas flexíveis, sendo sete (7) Reservas Industriais, seis (6) Reservas Agrícolas, e oito (8) Reservas Mineiras, distribuídas entre os municípios de Viana ( oito mil hectares), Cacuaco  (vinte mil hectares) e Icolo e Bengo (trinta mil hectares), na província de Luanda, e nos municípios do Dande e Ambriz (total de cento e vinte mil hectares), na província do Bengo.

CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO

ANTÓNIO HENRIQUES DA SILVA

PRESIDENTE DO CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO

 

Um Executivo de nível sênior com mais de 22 anos de experiência, com passagens em diversos sectores de actividade empresarial privados e públicos, desde os Petróleos e Gás, Telecomunicações, Televisão e Indústria . Visionário e criativo, com uma atitude positiva e firme compromisso com a excelência.

Experiência na Gestão da Mudança Organizacional para o alcançasse de melhores resultados, com um estilo de liderança aberta e empreendedora, de gestão altamente eficaz, planeamento e habilidades de negociação e comunicação, bem como de abordagem orientada ao encontro de soluções para a resolução dos problemas das organizações.

Percurso Profissional:

Foi Administrador de Sistemas de TI na Texaco 1997-1999, Coordenador da equipa de
implementação do projecto no início e Director Comercial e Marketing, Director de Investimentos Internacionais do Primeiro Operador de Telefonia Móvel padrão GSM angolano UNITEL SA 1999-2010, foi o Primeiro Presidente de um Conselho de Administração da Televisão Pública de Angola de 2010-2012 , desenvolveu actividades empreendedoras no sector privado com a criação de várias empresas startups com destaque para VIGORCALIMA Lda 2013-2015 e 2017-2018, foi Presidente da APIEX – Agência para Promoção de Investimentos e das Exportações de Angola, finais de 2015 início de 2017.

Formação Académica:

Detém uma Licenciatura em Engenharia Electrotécnica na especialidade de Telecomunicações e Sistemas de Informação – Universidade de Zagreb, Croácia – 1996.
Fez duas pós-graduações, uma em Administração de Empresas e Finanças pela Universidade Nova de Lisboa, Portugal em 2005 outra no IESE- Programa de Alta Direcção de Empresas ( PADE ) em Luanda, Lisboa, Barcelona em 2007. Frequenteou o Programa Avançado de Gestão Empresarial da Kellogg School of Management, Chicago, EUA em 2011. Teve outras certificações e diplomas profissionais como o MCSE 1997 e participações em seminários e fóruns internacionais onde também foi preletor.
Um aficionado em tecnologia e desenvolvimento de soluções de software aplicadas à busca de soluções para os problemas do nosso quotidiano.

Línguas Faladas:

Fala fluentemente 8 idiomas : Português, Inglês , Croata, Francês, Espanhol, Italiano, Romeno, Servo.

Actualmente é o Presidente do Conselho de Administração da Sociedade de Desenvolvimento da ZEE E.P ( Zona Económica Especial Luanda-Bengo ).

ÁLVARO DA CUNHA CÂNDIDO DOS SANTOS

ADMINISTRADOR

 

Percurso Profissional:

Foi funcionário das empresas TAAG, de 1983-1990 como técnico de Manutenção Eletrónica de Equipamento de Aviões e Rádios de Comunicações, e da SONANGOL deste 1990 com passagens:
1990-1995 técnico de suporte informático na Direcção de Hidrocarbonetos
1995-2001 Chefe de Departamento de TI da Direcção de Hidrocarbonetos e representante do sector petrolífera na comissão Nacional para o caos do milénio
2001-2011 Director de TI da Sonangol-Sede e Coordenador do Colégio de TI da Sonangol. 2004 – 2006 Coordenador do Projeto Market Place que da origem a empresa Trade Jango (plataforma SAP-SRM de e-commerce). 2011 Membro da Comissão Não Executiva da Lobinave. 2011 – 2018 Director Geral da fábrica de cabos de fibra óptica (Angolacabos) acumulando de De 2017 – 2018 a fabrica de Tubos de PVC (Pipeline) Sonangol-SIIND. 2012 Coordenador da montagem final da Fabrica de Aparelhagem de Media e Baixa tensão ( MT / BT ) assim como a montagem da Fábrica de Cabos Eléctricos INDUCABOS. De 2016 a 2017 foi consultor de Tecnologia de Informação do SETIC (MIFIN).
Frequentou estágios profissionais na Halliburton, Chevron, Schlumberger, SUN System, IBM.

Formação Académica:

Formação superior em Eletrônica e Telecomunicações.

Línguas Faladas:

Fala para além do Português, fluentemente Inglês.

Funcionário sénior da SONANGOL, Actualmente em comissão de serviço como Administrador Executivo da Sociedade de Desenvolvimento da ZEE E.P ( Zona Económica Especial Luanda-Bengo).

DALVA RINGOTE ALLEN

ADMINISTRADORA

 

Percurso Profissional:

É funcionaria sénior do Ministério das Finanças, tendo ingressado para a família Minfin em 2007, onde trabalhou na Direcção Nacional do Tesouro, Unidade de Gestão da Divida Publica e Direcção Nacional do Orçamento de Estado.
De 2010 à 2015, foi assistente do programa bilateral OTC (US Treasury Office of Technical Assistance), do Departamento do Tesouro Americano. De Março 2016 até Setembro 2018, foi a Presidente do Conselho de Administração do Instituto de Fomento Empresarial (IFE).

Formação Académica:

Possui larga formação em Macroeconomia, tendo formação em Liderança, Gestão e Condução de Politicas Publicas pela Universidade de Harvard. De igual modo, possui formação em Diagnostico Macroeconómico para Países Ricos em Recursos Naturais, pelo Fundo Monetário Internacional; Política Monetária e Previsão de Liquidez-Macroeconómica e Gestão Financeira pelo Instituto Western and Southern Africa ( MEFMI ); Política Económica e Finanças Global – Instituto de Desenvolvimento de Capacidades Organizacionais ( OCDI-SADC ); Gestão da Gestão da Conta Única do Tesouro pelo OTC- Departamento do Tesouro Americano.

É Mestrando em Administração Publica e Finanças – Universidade Estadual de Colorado – Colorado, USA, Possui uma Licenciatura em Administração Publica e Finanças – Universidade Estadual de Colorado. Licenciatura em Gestão e Finanças, Essex County College.

Línguas Faladas:

Fala fluentemente Português, Inglês, Espanhol e Francês.
De igual modo, fala fluentemente a língua nacional Umbundo e Lingala ( Dialecto da República Democrática do Congo ).

Actualmente é Administradora Executiva da Sociedade de Desenvolvimento da ZEE E.P ( Zona Económica Especial Luanda-Bengo ).

AMORBELO VINEVALA PAULINO SITONGUA

ADMINISTRADOR

 

Percurso Profissional:

É quadro sênior do Ministério da Justiça da República de Angola, desde 2007, admitido na carreira notarial.
Em 2011, assumiu a titularidade do Primeiro e mais importante Cartório Notarial do País,
com passagem pelo Guichê Único da Empresa, entre 2009 a 2011. Sempre ligado ao programa de modernização e simplificação de processos ao nível do Sector, foi ponto focal no programa “Mais fácil, mais simples”, de cariz multisectorial, entre 2011 a 2013. Por nove meses do ano de 2011, foi Director interino da Direcção Nacional dos Registos e Notariado, com assinaláveis mudanças na tramitação processual e relação institucional.

Formação Académica:

Licenciado em direito, pela Universidade Agostinho Neto, em 2005, na vertente jurídico – civis, fez pós graduações em direito das sociedades comerciais e empresas, tendo se especializado na formação em registos e notariado, em 2007, pelo Instituto de Estudos Judiciários, projecto financiado pela União Europeia (PIR/ PALOP). Está inscrito na Ordem de Advogados de Angola, desde 2006, e frequenta actualmente o curso de mestrado, na Faculdade de Direito da Universidade Agostinho Neto. Participou em vários seminários e conferências internacionais, inclusive como preletor, em que se pontificam os Seminários Regionais da área consular do Ministério das Relações Exteriores, de cujo Instituto é formador regular, e as Conferências da União Internacional do Notariado Latino. Como estudioso e especialista em notariado e regularização jurídica imobiliário, é formador na Faculdade de Direito da Universidade Agostinho Neto, Instituto Nacional de Estudos Judiciários e  do Centro de Estudos e Formação da Ordem de Advogados de Angola, desde a sua fundação, e faz consultoria jurídica especializada para muitas Instituições, públicas e privadas.

Actualmente é Administrador Executivo da Sociedade de Desenvolvimento da ZEE E.P ( Zona Económica Especial Luanda-Bengo ).

CARLOS CEPURA ANDRÉ

ADMINISTRADOR

 

Percurso Profissional:

É quadro técnico do Governo da Província de Luanda, ingressou em 2007. De 2009 à 2012 exerceu o cargo de chefe de secção de Assessoria Jurídica e Contencioso Administrativo da Administração Municipal do Sambizanga. De 2012 à 2015 Chefe de Secção de Escrituras e Actos Notariais do Notariado Privativo do Governo da Província de Luanda.

Formação Académica:

É licenciado em Direito pela Faculdade de Direito da Universidade Agostinho em 2010, área Jurídico-político. É pós-graduado em políticas públicas pelo Centro de Estudo de Políticas Públicas da Faculdade de Direito da Universidade Agostinho Neto. 2009 à 2010 Assessor da Federação Nacional dos Desportos Universitários. 2008 à 2017, Formador Nacional da Comissão Nacional Eleitoral. Actualmente é Advogado.

Línguas Faladas

Além do Português, fala e escreve fluentemente Francês .

Actualmente é Administrador Executivo da Sociedade de Desenvolvimento da ZEE E.P ( Zona Económica Especial Luanda-Bengo )

NOSSA VISÃO

Até 2022, a ZEE Luanda-Bengo pretende ser uma referência nacional de qualidade, rigor e responsabilidade, eficiência e eficácia, empreendedorismo e segurança.

NOSSA MISSÃO

Desenvolver e Gerir Espaços Infra-Estruturados, flexíveis, com vantagens competitivas e segurança!

Promover a produção interna, com qualidade, em substituição das importações!

Gerar emprego qualificado, com vista a redução da pobreza e elevação dos níveis de produtividade nacionais.

NOSSOS VALORES

  • Orientação para resultados
  • Inovação e modernização
  • Ética
  • Qualidade, saúde, segurança e ambiente
  • Responsabilização
  • Responsabilidade Social

PORQUÊ TRABALHAR CONOSCO

 Excelentes condições de trabalho

Os nossos espaços possuem condições de trabalho modernas e inovadoras.

Tributação especial

Os nossos utentes ganham inúmeros benefícios do ponto de vista fiscal.

Equipamento Certificado

Os nossos equipamentos são práticos e modernos, seja qual for o seu sector industrial.

Redução substancial de custos

Possuímos uma tabela de preços aliciante, para os espaços disponibilizados.

PLANO DIRECTOR

CRIAÇÃO, GESTÃO E ADMINISTRAÇÃO

A ZEE Luanda-Bengo é gerida e administrada pela Sociedade de Desenvolvimento da Zona Económica Especial Luanda-Bengo E.P., aqui também designada abreviadamente por ZEE E.P., criada pelo Decreto n.º 57/09, de 13 de Outubro.

São órgãos da ZEE E.P. o Conselho de Administração, O Conselho Fiscal e o Conselho de Direcção.

PLANO DIRECTOR

Com o objectivo de planear, ordenar e regulamentar a ocupação e uso do solo está em fase de conclusão o Plano Director da Zona Económica Especial.

UM DESENVOLVIMENTO INDUSTRIAL

INSPIRADO NA BELEZA E AUTENTICIDADE DA NOSSA FLORA

O racionalismo orgânico empregue no  planeamento urbano da ZEE permite que as infra-estruturas projectadas sejam perfeitamente integradas com as zonas destinadas aos desenvolvimentos industriais e produtivos, logísticos, formativos e de negócios. Unindo-se num único e surpreendente projecto inspirado na natureza e profundamente respeitoso com o ambiente.

O TRAÇADO
O traçado ortogonal das ruas. Garante uma mobilidade eficiente e uma gestão correcta dos recursos naturais.

A INTEGRAÇÃO
Inspirado numa planta autóctone do Namibe, desenvolveu-se um sistema de áreas verdes que se expande a partir do núcleo do projecto até as zonas contíguas, garantindo uma excelente integração com o meio.

SISTEMA DUAL
A fusão da estrutura ortogonal e das zonas verdes garante o cumprimento dos mais rigorosos requerimentos de sustentabilidade. Além disso, favorece uma mobilidade fluída tanto de pessoas como de mercadorias e confere ao desenvolvimento industrial um ar orgânico e pragmático.

IMPACTO DO PROJECTO

CARACTERIZAÇÃO DAS ÁREAS FUNCIONAIS

INDÚSTRIA

As zonas industriais ou produtivas ocupam 70% do espaço neste projecto.

ÁREAS ÚTEIS

Na seguinte tabela pode-se apreciar a distribuição do espaço em função das áreas úteis da ZEE, sem considerar as áreas ocupadas pelas infra-estruturas que compreenderiam mais de 2.500 ha.

 

 

 

 

INDUSTRIAL NOVA CRIAÇÃO 26.965.000 46,81% 46,81%
INDUSTRIAL EXISTENTE 9.257.800 16,07% 62,88%
INDUSTRIAL RESERVA 4.297.50 7,46% 70,34%
TERCIÁRIO COMERCIAL 2.696.900 4,68% 75,02%
EDUCACIONAL TECNOLÓGICO CIENTÍFICO 1.100.00 1,91% 76,93%
RESIDENCIAL CIDADE JARDIM 3.169.000 5,50%% 82,43%
RESIDENCIAL CENTRO ADMINISTRATIVO 1.959.000 3,40% 85,83%
PORTO SECO 1.084.000 1,88% 87,72%
PÓLO COMERCIAL 4.998.800 8,68% 96,39%
EQUIPAMENTO URBANO – LAZER 998.800 1,73% 98,13%
BAIRRO RESIDENCIAL EXISTENTE 1.079.000 1,87% 100,00%
ÁREA TOTAL UTILIZÁVEL 57.605.500

OBJECTO SOCIAL

A ZEE Luanda-Bengo sempre sob orientação do Executivo Angolano, caracteriza-se por ter uma gestão integrada e desenvolvimento faseado.

A ZEE Luanda/Bengo tem como objecto social promover a oferta das mais amplas e melhores Infraestruturas, Equipamentos, Produtos e Serviços personalizados aos seus Utentes.

I – No âmbito da actividade económica de gestão de parques empresariais a ZEE E.P. promove, entre outros, os seguintes serviços:

A) SERVIÇOS DE GESTÃO CORRENTE:

a) Segurança e vigilância;
b) Limpeza e arranjo;
c) Obras de manutenção (preventiva e correctiva);
d) Espaços Verdes; e,
e) Sinalética.

B) SERVIÇOS DE GESTÃO CORRENTE DAS ÁREAS COMUNS:

a) Infra-estruturas:

i. Rede de distribuição de energia;
ii. Subestações de energia eléctrica;
iii. Rede de telecomunicações;
iv. Rede de drenagem de águas residuais;
v. Rede de distribuição de água potável;
vi. Rede de combate a incêndios;
vii. Rede de rega;
viii. Rede de drenagem de águas pluviais;
ix. Arruamentos e passeios;
x. Zonas de estacionamento; e,
xi. Zonas de carga e descargas.

b) Equipamentos:

a) ETAR;
b) Eco-Centro;
c) Centro de Protecção Civil;
d) Refeitórios;
e) Creches;
f) Jardins-de-Infância;
g) Restauração;
h) Centro de Formação;
i) Incubadora de Empresas;
j) Edifícios de Serviços e alojamento;
k) Correios;
l) Centros de Saúde;
m) Áreas de Lazer; e,
n) Portaria.

c) Serviços/Produtos de valor acrescentado:

a) Lotes infra-estruturados;
b) Edifícios de serviços integrados;
c) Pavilhões Industriais prontos a ocupar (arrendamento);
d) Formação;
e) Consultoria;
f) Transporte e movimentação de pessoas e carga;
g) Esquadra policial
h) Unidade de bombeiros
i) Apoio jurídico;
j) Apoio à Instalação;
k) Manutenção industrial.
l) Agenciamento e intermediação técnica;
m) Desembaraço aduaneiro.

ESTRUTURA ORGANIZACIONAL

LEGISLAÇÃO

Decreto Presidencial n.º 50/09 – Criação da ZEE Luanda-Bengo

Decreto Presidencial n.º 57/09 – Criação da Sociedade de Desenvolvimento da Zona Económica Especial Luanda-Bengo E.P.

Decreto Presidencial n.º 49/11 – Regime Jurídico da ZEE Luanda-Bengo

Decreto Presidencial n.º 67/11, de 19 de Abril – Reserva Industrial de Cacuaco

Decreto Presidencial n.º68/11, de 19 de Abril – Reserva Mineira da Baixa do Iô

Decreto Presidencial n.º 69/11, de 19 de Abril – Reserva Agrícola da Quiminha

Decreto Presidencial n.º 70/11, de 19 de Abril – Reserva Agrícola da Baixa do Bengo

Decreto Presidencial n.º 71/11, de 19 de Abril – Reserva Mineira de Catete

Decreto Presidencial n.º 72/11, de 19 de Abril – Reserva Mineira de Calomboloca

Decreto Presidencial n.º 73/11, de 19 de Abril – Reserva Agrícola do Rio Loge

Decreto Presidencial n.º 74/11, de 19 de Abril – Reserva Industrial da ZEE, Viana

Decreto Presidencial n.º 75/11, de 19 de Abril – Reserva Mineira de Quincala

Decreto Presidencial n.º 76/11, de 19 de Abril – Reserva Industrial de Uala/Catete

Decreto Presidencial n.º 77/11, de 19 de Abril – Reserva Agrícola – Barra do Dande

Decreto Presidencial n.º 84/11, de 27 de Abril – Reserva Industrial da Quimanda

Decreto Presidencial n.º 85/11, de 27 de Abril – Reserva Industrial do Sequele

Decreto Presidencial n.º 86/11, de 27 de Abril – Reserva Agrícola do BAD-Bom Jesus

Decreto Presidencial n.º 87/11, de 27 de Abril – Reserva Agro-Industrial Luanda-Bengo

Decreto Presidencial n.º 88/11, de 27 de Abril – Reserva Industrial de Bom Jesus

Decreto Presidencial n.º 89/11, de 27 de Abril – Reserva Mineira da Quiminha

Decreto Presidencial n.º 90/11, de 27 de Abril – Reserva Mineira de Lemba

Decreto Presidencial n.º 91/11, de 27 de Abril – Reserva Agrícola de Bom Jesus

Decreto Presidencial n.º 92/11, de 27 de Abril – Reserva Mineira do Quicabo

Decreto Presidencial n.º 93/11, de 27 de Abril – Reserva Industrial de Gangazuze

Decreto Presidencial n.º 94/11, de 27 de Abril – Reserva Mineira de Calumbo/Bom Jesus

O QUE DIZEM SOBRE NÓS